20. setembro – 29. novembro 2018

APE collected by Brasilea - Abroad at home - I Exposição do aniversário 15 anos

A coleção APE – Arte Perpetual Establishment é a segunda coleção da Brasilea juntamente com a já existente coleção Walter Wüthrich. Documenta a história mais recente das atividades deste estabelecimento de arte que vem expondo desde a inauguração, em 2003. Esta história pode ser vista graças aos objetos de arte adquiridos pela Brasilea no decorrer das mostras desde então.

Muitos dos artistas representados na coleção APE têm em comum o fato de conhecerem o impulso de Walter Wüthrich e sentirem afinidade com o mesmo : o país de origem é um, e aquele pelo qual optaram, outro. Dois corações batendo num só peito. A coragem e o desespero de terem emigrado, vivenciando coisas novas ao procurar experiências diferentes, numa cultura desconhecida, com abertura e em diálogo com temáticas globais. Foi assim que Walter Wüthrich partiu para o estrangeiro em 1939, tendo encontrado em Franz-Josef Widmer aquele artista e amigo a quem se ligou, e à sua terra. E cujas obras de arte marcam o início do acervo da Brasilea.

A casa expositora Brasilea atual se reporta a este passado e ao mesmo tempo focaliza, a partir da inauguração em 2003, uma nova expressão artística moderna, a qual muitas vezes se confronta com temas políticos e com correntes sociais, criticando-os. Também estes artistas haviam deixado o conforto do lar, indo viver em outro país. A distância proporciona uma visão diferente da terra natal : por vezes uma linda imagem romântica, ou então uma percepção mais neutra e, seguramente, um retrato movendo-se num contexto mais global. Distância e proximidade. Território delimitado e espaço amplo : eis dois grandes blocos temáticos presentes em muitos dos artistas que vivem no exílio – visíveis em diversas obras da coleção APE.

Estão em foco, também, objetos de arte produzidos por artistas convidados a passar uma temporada em Basel especialmente para os exporem na Brasilea,. Obtiveram assim uma plataforma no local; num atelier provisório, tiveram a oportunidade de um trabalho criativo em contexto internacional. Desta maneira surgiram numerosas obras impressionantes. Algumas delas integradas na coleção APE.

Evidentemente também constam da coleção obras de artistas brasileiros contemporâneos que moram e trabalham no Brasil e cuja presença no acervo se deve à importância das mesmas na evolução do todo da arte brasileira.

A coleção Brasilea é representativa dessa arte contemporânea nos diversos modos de expressão, ou seja, em pintura, desenho, fotografia, escultura, objetos e também arte em mídia, tudo criado nos últimos 54 anos. Atualmente já constam 87 artistas, sendo que a maioria, além de suíços, engloba aqueles provenientes do continente latino-americano.

São hoje, ao todo, 228 obras de arte que mostram de maneira impressionante como a vida no exterior marcou seus autores. Saudade da pátria original, repúdio e revolta contra aspectos sócio-políticos na mesma. Idealismos e a adoração da lindíssima e grandiosa natureza no Brasil tão amplo, o quinto maior país do mundo. O Rio de Janeiro e suas paisagens famosas, assim como o Amazonas, a mata virgem ou os habitantes, tudo isso são cenários escolhidos pelos artistas plásticos oriundos de países distantes. Raramente são retratados aspectos que não sejam os da nova pátria.

O acervo, que vai aumentando sempre, é como uma excitante viagem pela arte brasileira contemporânea. Revela controvérsias, demonstra paralelismos que se repetem, possibilita novos pontos de vista e apresenta interessantes tendências que se contrapõem à coleção inicial de Walter Wüthrich, fechada em si mesma.

 

Daniel Faust

Diretor