26. janeiro – 16. março 2017

Christina Oiticica - Quatro Elementos

A Brasilea exibe obras da artista plástica brasileira Christina Oiticica de 26 de janeiro a 16 de março de 2017. Christina Oiticica tem renome internacional pela sua eco art. São telas pintadas com acrílico que se completam após terem sido expostas à natureza. A maioria delas fica à mercê das forças da natureza durante um tempo; muitas vezes é a artista que, com suas próprias mãos, as enterra e depois as retira da terra. O resultado é sempre uma surpresa: retirar a peça é um happening ligado a fortes emoções para a artista.

„Assumi uma parceria com a natureza“, diz Christina. „Crio metade da obra de arte e a natureza se incumbe da segunda parte.“ Essa cooperação começou sem ter sido planejada. Junto com seu esposo Paulo Coelho, a artista costuma passar alguns meses por ano nos Pirineus franceses. No início, de fato faltou espaço para deixar as telas secando. Porisso ela as colocava ao relento e, durante a noite, a natureza lhes acrescentava folhas, poeira e insetos, modificando a obra ao lhe dar este tipo de acabamento.

Simbolismo e espiritualidade são conceitos importantes para Christina Oiticica em seu trabalho: não somente enterra suas obras em locais de significado histórico ou sacro, como também sua criação plástica se relaciona com símbolos, mitos e lendas. Além disso, as obras apresentam características femininas eróticas e um colorido sensual avermelhado. Cenas do cotidiano brasileiro em pop-art são associadas a símbolos em interpretação latino-americana bastante típica.

Christina Oiticica é da geração de artistas cariocas dos anos setenta, à qual também pertencem Lygia Clark, Mira Schendel e Hélio Oiticica. Desde os anos oitenta, Christina tem exposto com impressionante assiduidade. Além de numerosas mostras no Brasil, marcou presença no mundo todo, entre outros países na Espanha, nos Estados-Unidos, na Finlândia, no Japão e também na Suíça (St. Moritz Art Masters 2008/2009).

A partir de 26 de janeiro, Christina Oiticica encontra-se estabelecida com mostra individual na Fundação Brasilea. Seu ciclo „Quatro Elementos“ é constituído de dez obras que estão sendo elaboradas especialmente para Basel. Estas peças foram preparadas com antecedência e são em seguida completadas no próprio local. Sete de seus trabalhos estão instalados no terraço no topo do prédio, expostos às intempéries do inverno: quatro ao ar livre e três deles mergulhados em recipientes com água. Outros três estão no primeiro piso do recinto de exposições, enterrados. O quarto elemento, o fogo, será acrescido no dia da vernissage, em 26 de janeiro de 2017. Nessa ocasião, na própria Brasilea, os trabalhos serão submetidos ao fogo para que a natureza lhes dê um toque definitivo. Os visitantes da exposição poderão assistir ao processo. Evidentemente, o convite a todos também abrange a finissage, quando então as obras prontas serão retiradas da ação da natureza. Tanto a vernissage como a finissage serão de livre acesso ao público em geral.

Além disso serão expostas mais de 40 outras obras criadas desde 2004, 25 delas da sequência „Primavera“ – Espanha 2008, referindo-se ao caminho de peregrinação para Santiago de Compostela. Analogamente, sobre essa jornada o livro de Paulo Coelho „O Diário de um Mago“ foi lançado em 1987 e depois traduzido para 21 idiomas, inclusive o alemão. Integram a exposição outras três obras do Amazonas.

Daniel Faust, Diretor